Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Bom é comer bem Bom é comer bem

Como fazer e conservar molho de tomate caseiro?

Coleção Receitas

Como fazer e conservar molho de tomate caseiro?

O molho de tomate tem lugar cativo na cozinha de todo o mundo. Você o encontrará em pratos de massa italiana, molho de enchilada mexicana, culinária árabe e no bolinho de carne americano. O fruto faz parte da dieta brasileira e, entre todas as hortaliças, só é menos consumido que a alface, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Como acompanhamento base, o molho é super versátil e faz maravilhas com o sabor de um prato de espaguete ou uma fatia de pizza. Se precisa de algo rápido para o jantar e tem o molho vermelho à mão, você terá variadas possibilidades de um preparo saboroso para matar sua fome. E, claro, também fornece nutrientes essenciais para o organismo. 

O post de hoje, portanto, vai ensinar te ensinar como preparar o molho de tomate perfeito, explicar seus benefícios para a saúde e, ainda, te presentear com uma dica valiosíssima, que a maioria das pessoas não faz ideia: como conservá-lo. Continue lendo e descubra como o tomate faz milagres.

Quais as vantagens de consumir o molho natural de tomates?

Não seria exagero afirmar que todos nós amamos o molho de tomate. Isso porque a iguaria é um daqueles alimentos raros que realmente caem bem no nosso paladar ao mesmo tempo em que beneficiam nosso corpo. Seja o fruto ou o derivado, seu consumo melhora as funções biológicas de infinitas maneiras.

Uma delas está vinculada diretamente à prevenção de doenças cardiovasculares. Ricos em vitaminas e licopeno, o tomate e seus derivados colaboram para o transporte de oxigênio no sangue, além de melhorarem o fluxo sanguíneo. Uma xícara do molho vermelho, por exemplo, contém ¼ da ingestão diária recomendada de vitamina A e metade da necessidade diária de vitamina C. 

O acompanhamento também é naturalmente um poderosíssimo antioxidante. A vantagem? Esse potencializador simplesmente é capaz de proteger nosso organismo do ataque de radicais livres, ou seja, previne doenças como o câncer. É fonte de três carotenóides: alfacaroteno, betacaroteno e a luteína, que age contra os danos oxidativos nas células e, consequentemente, reduz o risco da degeneração macular relacionada com a idade (DMRI), cataratas e outras enfermidades crônicas. 

Agora que você sabe mais um pouco sobre as propriedades e as vantagens de consumir essa invenção dos deuses, que tal aprender duas receitas sensacionais para fazer um molho perfeito? Bora lá!

Como fazer molho de tomate caseiro

Bem, primeiramente quer você faça a iguaria para um sabor mais  fresco ao seu prato ou esteja buscando economizar dinheiro no supermercado, ficará feliz em saber que não é preciso muito para fazê-la você mesmo. E aqui vem a primeira super dica:

Molho de tomate base

Ingredientes: 

Nota! Para esta dica não vamos tirar a pele e as sementes do tomate. O molho ficará meio líquido, mas, caso prefira ele bem mais espesso é só adicionar (após triturado) uma colher de sopa de amido de milho e deixá-lo no fogo por mais alguns minutos.

Modo de preparo: 

  1. Lave bem os tomates um a um na água corrente.
  2. Corte-os ao meio e retire os defeitos, se houver, e aquela parte amarela da polpa (se preferir, retire as sementes). Depois, corte os tomates em pedaços menores e reserve.
  3. Coloque a cebola e alho cortados na panela, acrescente o óleo de coco. Refogue (em fogo médio) até a cebola ficar translúcida. 
  4. Adicione os pedaços de tomate e misture bem.
  5. Quando iniciar a fervura, abaixe o fogo e tampe a panela (espere 5 minutos)
  6. Mexa novamente e volte a tampa (desta vez, não toda). Deixe cozer por mais 5 minutos.
  7. Passado esse tempo, coloque todos os temperos, misture e prove para acertar o tempero. Tampe a panela e deixe o molho apurar mais 5 minutos.
  8. Depois é só desligar o fogão, juntar as folhas de manjericão e triturar o molho até obter a consistência desejada (use um amassador de legumes ou um processador de alimentos) e está pronto. 

Molho de tomate clássico

Ingredientes:

  • 1 quilo de tomate tipo italiano bem maduro
  • 1 cebola picada
  • 6 folhas de manjericão 
  • 2 colheres (sopa) de azeite extravirgem
  • Sal a gosto

Nota 2! Aqui, optamos por retirar a pele e as sementes do tomate antes de iniciar o preparo, mas fique tranquilo porque esse vai ser o seu “maior trabalho”. 

Modo de preparo: 

  1. Coloque uma panela com água para ferver.
  2. Lave bem os tomates e faça um corte em formato de X onde ficava a rama (depois deixe-os na panela por 1 minuto)
  3. Coloque gelo numa vasilha e misture com água. Quando a pele começar a soltar, retire os tomates da panela e leve para o gelo (a ideia é provocar neles um choque térmico)
  4. Com a ajuda de uma faca, puxe a pele da hortaliça a partir do X.
  5. Corte os tomates em metades e retire as sementes. Depois bata no liquidificador (no modo pulsar).
  6. Junte as duas colheres de azeite e a cebola picada na panela e refogue. A cebola deve ficar apenas dourada.
  7. Coloque o molho na panela, tempere com sal e mexa. Não tampe.
  8. Quando começar a fervura, leve ao fogo médio por 20 minutos. Depois desligue e jogue o manjericão picado finamente para dar sabor.

Gostou das receitas? Então agora eleve a forma como você  irá conservar o seu acompanhamento. A próxima dica é ideal para quem não tem mais espaço no congelador.

Como conservar molho de tomate caseiro?

Esta super técnica usa o método de pasteurização.  Para ela, vamos precisar do molho de tomate ainda quente e de frascos de vidro com tampas metálicas.

  • Coloque água para ferver em uma panela grande (encha até a metade)
  • Com a ajuda de uma espátula, leve os fracos para a panela, deixando esquentar de 4 a 5 minutos
  • Após isso, tire-os da água fervente e coloque em cima de um pano
  • Faça o mesmo processo com as tampas
  • Encha os potes com o molho, deixando uma distância da tampa
  • Volte a mergulhar os fracos na água fervente e aguarde 15 minutos (isso garantirá o vácuo no seu interior)
  • Passado esse tempo, desligue o fogão e deixe a água esfriar completamente
  • Depois é só limpar os potes, etiquetar e guardá-los no armário. 

Você poderá conservá-los fora da geladeira por pelo menos 6 meses, protegidos da luz. Após aberto, o molho deve ser refrigerado e consumido em até 1 semana. 

Agora que você se tornou mestre na arte de fazer e conservar o seu próprio molho de tomate caseiro, aproveite o sabor do acompanhamento mais adorado do mundo enquanto colhe benefícios para o organismo. Curtiu o post? Então confira também nossas receitas criativas para cozinhar em casa, dicas sobre alimentação saudável e  a importância de determinados grãos para a saúde.