Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Bom é comer bem Bom é comer bem

Cravo-da-índia: Saiba sua origem e como usar no tender e na sobremesa

Curiosidades

Cravo-da-índia: Saiba sua origem e como usar no tender e na sobremesa

Espetar cravos-da-índia no tender é uma tradição tão marcante do Natal que chega a ser inimaginável a receita sem essa especiaria. Eles estão ligados de tal maneira que muitas pessoas receiam estragar o prato caso optem por separar a dupla.  

Mas qual a razão disso? É porque alguém no passado achou que esses sabores funcionam bem juntos? É porque é aromático? Nós da cozinha Caldo Bom já nos perguntamos como surgiu essa tradição e acho que não fomos os únicos. 

Hoje, falaremos sobre a história do cravo-da-índia, seus benefícios e como você deve fazer para alcançar o sabor, cor e textura surpreendentes na hora de preparar seu tender natalino. E, de quebra, entenderá porque houve época em que a flor do craveiro valeu ouro.

História e curiosidades sobre o cravo

Há milênios o cravo-da-índia é apreciado tanto pelo aroma quanto pelo sabor. Na China da dinastia Han, por exemplo, era usado para adoçar o hálito. Alguns cravos na boca se faziam obrigatórios para quem fosse se aproximar do imperador. 

Na Era dos Descobrimentos, ele estava entre as especiarias da Índia que motivaram inúmeras viagens de navegadores europeus ao continente asiático. Talvez originado do fato de que comerciantes árabes já vendiam cravos na Europa ainda no Império Romano.

Ao importar os cravos da Índia, os navegadores portugueses, espanhóis e ingleses pretendiam utilizá-los nos doces e impedir a invasão de formigas. Ou seja, eram também repelentes. 

Contudo, a procura pelo tempero só atingiu seu auge no século 17, quando a Holanda começou um movimento para limitar a disponibilidade da planta. Seu objetivo não tinha nada demais e consistia em criar escassez da especiaria para manter os preços elevados – quanto menos cravo houvesse, mais os holandeses poderiam cobrar por ele, simples! 

Esse monopólio só acabaria quase um século depois, quando os franceses levaram o cravo das Índias Ocidentais, plantando em outras partes do mundo. Por aí, você já entendeu como ele chegou no Brasil e nas Américas.

Perfil de Sabor

Imagine cidra de maçã com cravos inteiros e fatias de laranja fervendo no fogão, ou um pernil de porco curado e defumado assando com cobertura de melaço. Consegue pensar em algo mais saboroso e aconchegante? O cravo não é perfeito apenas para as festas de final de ano (e juninas). Com um aroma doce e picante, de sabor quente e forte, ele prova sua utilidade o ano todo.

Você o encontrará praticamente em todas as culinárias: indiana, mexicana, americana, francesa, indonésia, brasileira... A especiaria traz um sabor quente para o molho inglês e tons picantes para sopas e guisados. Como dica, certifique-se de removê-la antes de servir – a maioria das pessoas acha o cravo-da-índia muito forte para ser saboreado inteiro.

Como usar o cravo-da-índia?

  • O cravo-da-índia inteiro confere profundidade incrível aos pratos cozidos lentamente. Mas você não vai querer mordê-lo. O sabor é muito forte e ele é bastante quebradiço.
  • A usabilidade do cravo também surpreende – não há maneira melhor de personalizar a salmoura de acordo com seus gostos específicos. 
  • O sucesso está no tempero. Experimente colocá-lo numa carne marinando com semente de mostarda, folhas de louro e alho seco, além de açafrão para dar cor.

Quais são seus parceiros perfeitos? 

A essa altura você já deve ter percebido por que o cravo passou a ser espetado no tender. Pessoalmente, agora acho grosseria dizer que ele é utilizado apenas para fins decorativos! 

No modo utilitário, seu molho fica bem no filé mignon e, quando usado no chocolate quente, muda o cheiro e o sabor, deixando tudo ainda mais irresistível. E, claro, quando a parceria envolve o tender,  ele agrega trazendo calor, picância e aroma delicioso a sua ceia.

Eu não gosto do cravo-da-índia, existe um bom substituto?

Pode ser frustrante, mas não há um substituto recomendado. Porém, se você estiver preparando doces, fazendo uma marinada ou cobertura, ou temperando um molho, terá um punhado de opções. Canela, noz-moscada e maçã podem te ajudar a obter sabores comparáveis e benefícios de saúde relativamente semelhantes, embora não entregue o mesmo resultado.

Benefícios do cravo-da-índia 

E são os benefícios para a saúde nosso último tópico antes das receitas. 

Compreensivelmente, o cravo está no imaginário do brasileiro como uma especiaria adequada para o tempero e condimento, mas seus efeitos medicinais compreendem o tratamento de náuseas, indigestão, diarreia e antisséptico. Para completar, ainda tem propriedades bactericidas e pode aliviar dores de dente. Realmente um combo!

Dito isso, suspeito que agora você plantaria até um craveiro em seu quintal, não? Bem, brincadeiras à parte, confira a seguir as super receitas de tender e sobremesas que a equipe Caldo Bom preparou para você. Quer arrebentar na cozinha? Chegou a hora!

Recomendações de receitas populares

Prato principal

Tender de Natal com molho agridoce

Ingredientes: 

  • 1 presunto tipo tender
  • Cravos-da-índia Caldo Bom a gosto
  • 1 xícara de suco natural de laranja 
  • 1 pote de maionese
  • 1 abacaxi maduro
  • ½ xícara de melado de cana
  • ½ xícara de vinho branco
  • ½ repolho
  • Uvas-passas a gosto

Modo de preparo:

  1. Com uma faca, desenhe pequenos losangos sobre o tender.
  2. Espete os cravos-da-índia nas junções dos losangos.
  3. Numa assadeira, jogue o melado, o suco de laranja e o vinho branco. Em seguida, coloque o tender. 
  4. Leve-o ao forno preaquecido em 200º por 1 hora, regando com o molho na metade do tempo.
  5. Descasque o abacaxi e corte em cubinhos. Pique também o repolho.
  6. Em uma vasilha, misture-os com as uvas-passas e a maionese. Reserve.
  7. Após o período no forno, retire os cravos do tender.
  8. Corte-o e espalhe em uma travessa, regando com o caldo sempre que quiser.
  9. Monte a maionese de abacaxi com enfeites da sua preferência e sirva junto com o tender.

Sobremesas

Maçãs Carameladas com Cravo e Canela

Ingredientes: 

Modo de preparo:

  1. Descasque as maçãs, corte em quatro partes, retire o miolo e as sementes. Coloque-as dentro de uma tigela e misture com o suco de limão. Reserve.
  2. Em uma panela, junte a água, o açúcar, a canela em rama e os cravos-da-índia e leve ao fogo médio por 8 minutos ou até conseguir um caramelo dourado claro.
  3. Adicione a manteiga, as maçãs, abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos, ou até ficarem macias, virando o lado cuidadosamente na metade do tempo. Sirva quente ou fria.

Ambrosia

Ingredientes: 

Modo de preparo:

  1. Numa panela média, com a lateral mais alta que tiver, misture a água com o açúcar. Junte a canela, os cravos, as cascas de limão e leve ao fogo médio. Deixe cozinhar por cerca de 15 min, sem mexer, até a calda atingir o ponto de fio fino (mergulhe uma colher e levante sobre a calda, se formar um fio entre as gotas, está pronta)
  2. Enquanto a calda cozinha, quebre os ovos e bata com um garfo apenas para misturar as claras com as gemas. Jogue o leite, o caldo de ½ limão e misture bem.
  3. Assim que atingido o ponto fino, abaixe o fogo e adicione a mistura de ovos com leite. Deixe cozinhar por mais 30 min, sem mexer, ou até os ovos começarem a coagular. 
  4. Misture delicadamente com uma espátula, para partir o doce em pedaços menores. Desligue o fogão e, com uma escumadeira, transfira a ambrosia para uma compoteira ou pote de vidro esterilizado
  5. Regue a calda que sobrou na panela sobre o doce, passando por uma peneira (assim ninguém corre o risco de morder um cravo na hora de comer). Deixe esfriar antes de levar para a geladeira. Sirva frio. 

Beijinho

Ingredientes: 

  • 2 latas de leite condensado 
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • 300g de coco fresco ralado (fino)
  • açúcar cristal
  • Cravos-da-índia Caldo Bom a gosto

Modo de preparo:

  1. Em uma panela, misture o leite condensado, a manteiga e o coco ralado.
  2. Leve ao fogo e misture por aproximadamente 15 min.
  3. Retire a mistura do fogo e deixe amornar. 
  4. Molde a massa em formato de bolinhas, passe pelo açúcar ou coco ralado e finalize com cravos-da-índia.