Linha Vegan Saiba tudo sobre veganismo e vegetarianismo
Linha Vegan Saiba tudo sobre veganismo e vegetarianismo
Bom é comer bem Bom é comer bem

Receita de pão de queijo: como surgiu e como fazer a versão tradicional

Coleção Receitas

Receita de pão de queijo: como surgiu e como fazer a versão tradicional

Quem é que resiste a um pão de queijo quentinho acompanhado por uma xícara de café recém-passado? Apesar de ser muito simples, esse quitute nascido na cozinha mineira conquistou o paladar dos brasileiros e se transformou em um prato apreciado em todo o país. Mesmo sendo chamado de “pão”, na verdade ele se assemelha muito mais a um biscoito feito de polvilho, o que não o impede de ocupar lugar de destaque no café da manhã e no lanche da tarde. Não se conhecem ao certo o local e o ano em que esse prato foi feito pela primeira vez. Contudo, há indícios de que a receita de pão de queijo provavelmente surgiu no século 18 na região sul de Minas Gerais, embora só tenha ficado famosa a partir de 1950.

Não tem farinha de trigo? Coloca polvilho!

Com o auge da exploração do ouro, o interior do país presenciou o aumento da população e a fundação de diversos povoados, como a Vila de São João Del Rei, a Vila do Carmo (atual Mariana) e a Vila Rica de Ouro Preto, localizadas em Minas Gerais. Como era de se esperar, a explosão demográfica na região fez crescer a necessidade de alimentos. Contudo, não havia o pão tradicional por aqui nessa época: a farinha de trigo era um ingrediente bastante raro no período colonial, pois esse cereal só passou a ser cultivado de forma mais intensa no Brasil no início do século 20. Além de ser muito caro transportar a farinha de trigo de Portugal para cá, a viagem era longa, o que fazia com que o produto desembarcasse em terras brasileiras apresentando baixa qualidade. O jeito, então, foi adaptar a receita e utilizar a fécula de mandioca, também conhecida como polvilho, que era a base da alimentação dos povos indígenas. O polvilho era misturado com banha ou óleo, leite, ovos e sal, formando uma massa. Para dar mais sabor a esse prato e aproveitar melhor os alimentos, os queijos que sobravam e ficavam duros eram acrescentados a essa mistura. Havia nascido o pão de queijo.

Receita de pão de queijo com polvilho azedo

Assim como não há consenso sobre o surgimento do pão de queijo, também não é possível saber qual era a “receita original”, já que se tratava de uma criação improvisada, elaborada com os ingredientes disponíveis sem que houvesse uma proporção bem definida. Hoje em dia, há uma disputa sobre qual seria a receita mais tradicional: o pão de queijo com polvilho azedo, com polvilho doce ou com uma mistura dos dois. Embora não haja certeza sobre qual delas surgiu primeiro, o pão de queijo conhecido como “mineirinho” é feito com polvilho azedo e queijo Canastra. Confira a receita:

Ingredientes

  • 1 kg de polvilho azedo Caldo Bom
  • 600 ml de água
  • 1 ½ de xícara de chá de óleo
  • 1 ½ de xícara de chá de leite
  • 1 colher de sopa cheia de sal
  • 6 ovos
  • 150 gramas de queijo Canastra ralado

Modo de preparo

Coloque o polvilho azedo Caldo Bom em um recipiente grande e reserve. Em uma panela, adicione a água, o óleo, o leite e o sal e leve ao fogo até levantar fervura. Em seguida, jogue a mistura fervente sobre o polvilho azedo para escaldar e mexa muito bem com uma colher de pau. Acrescente um ovo por vez e misture para incorporá-los. Adicione o queijo e sove até obter uma massa uniforme. Modele as bolinhas, distribua em uma assadeira e leve ao forno pré-aquecido a 200 graus por 20 minutos ou até dourar. Rende cerca de 40 pães de queijo. Lembre-se de que o pão de queijo com polvilho azedo tem sabor mais intenso e apresenta grandes bolhas de ar em seu interior, por isso ele cresce mais e perde o formato redondo, além de ficar mais crocante. Caso prefira um pão de queijo de sabor mais suave, bem redondinho e que tenha uma textura mais elástica, experimente esta receita que leva polvilho doce e azedo. Aproveite que a Caldo Bom oferece esses dois ingredientes e teste todas as variações dessa delícia! Fonte(s): Descubra Minas [1] e [2], Info Escola e Revista Casa & Jardim