Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Nova Linha Vegan Semeando sabor e colhendo o bem.
Bom é comer bem Bom é comer bem

Você vai se surpreender com essas receitas de Torta Paulista

Coleção Receitas

Você vai se surpreender com essas receitas de Torta Paulista

Então, quando foi a última vez que você assou uma torta? Vou arriscar e apostar que já faz tempo, porque, mesmo que ninguém diga isso, muitos de nós ficam simplesmente intimidados com a “facilidade” de errar o prato. É quase um consenso silencioso que, seja a Torta Paulista ou qualquer outra, elas vão exigir certas habilidades culinárias (e artísticas) em seu preparo.

Bem, é fato que cada versão da iguaria segue um processo distinto que necessita atenção. E, realmente, nos séculos passados, as jovens firmavam o domínio da cozinha fazendo tortas. Contudo, de lá para cá, as massas foram sofisticadas, surgiram os fogões a gás e até o liquidificador passou a ser utilizado nas receitas. 

Deixada a insegurança de lado, com todas as festividades de fim de ano, feriados e férias coletivas chegando, você está a um passo de surpreender a todos na sua casa com as 4 receitas de Torta Paulista que reunimos para este post. Mas antes que tal viajar conosco em uma fascinante jornada de origem deste alimento criado para o deleite dos faraós? 

Ela já veio torta

Conta a História que os antigos egípcios foram os primeiros a inventar um prato próximo ao que hoje conhecemos como torta. Os padeiros dos faraós colocavam nozes, mel e frutas na massa de trigo (ou aveia, centeio, cevada), formando um tipo de bolo crocante e assado na brasa. Hieróglifos sobre isso foram encontrados na tumba de Ramsés II, que governou o Egito de 1304 a 1237 a.C. 

Quando chegou no Mediterrâneo, rapidamente os gregos desenvolveram a massa para tortas. Nesse período, elas eram feitas com uma pasta de farinha e água enrolada na carne - isso servia para cozinhar a mistura e selar os sucos. 

Mesmo torta, resistiu a Roma

Os romanos, provando a iguaria, levaram a receita para casa como bônus extra pela invasão e conquista da Grécia. Ricos e instruídos, eles adicionaram mais carne (várias delas) à refeição, incluindo-a na sobremesa. Em seguida, essas delícias se espalharam pela Europa, onde cada povo adaptou as receitas aos seus gostos e costumes.

Em 476 d.C, o Império Romano caiu e a torta seguiu conquistando territórios. Na Idade Média (século 5 ao 15), ela se tornou alimento básico para os viajantes e trabalhadores nos países mais frios do norte europeu, mas, agora, viriam temperadas com leite e manteiga. 

Se é torta, é britânica

Embora a história da torta remonte aos tempos dos faraós, os ingleses costumam reivindicar para si a criação da sobremesa. Como argumento, lembram o fato verídico de que a primeira torta recheada de frutas foi registrada no final do século 16, quando serviram à rainha Elizabeth I uma torta de cereja. 

Mas, se esse argumento é no mínimo questionável, não há dúvidas que os britânicos sofisticaram o conceito de tortas. E antes que os urros do bairrismo comecem a ecoar, esclarecemos: eles aumentaram o recheio, deixaram a crosta significativamente mais fina e comestível e passaram a criar vários tipos de tortas doces e salgadas, de carnes e frutas. 

Torta é pop

Com o período das explorações nas Américas e o estabelecimento dos ingleses no continente, foi natural a criação de novas receitas, que evoluíram para além da influência britânica. Isso porque os primeiros colonos buscavam preservar suas calorias, porém, não havia disponível no Novo Mundo nenhum dos cereais usados nas tortas da época. 

Várias versões mais adocicadas entraram no cardápio dos americanos até o século 19, com sua imagem se associando de vez aos EUA a partir da Segunda Guerra Mundial. Hoje, são guloseimas que abrangem o mundo todo, feita com tudo, de maçãs ou bananas à camarão ou palmito. 

No Brasil, ela também se adaptou aos nossos traços culinários, ganhou novos sabores e até gerou debates sobre a sua classificação. Dependendo da região, você pode chamá-la de torta (doce) ou empadão (salgada). 

Regionalismos à parte, o fato é que ainda não encontrei alguém que não goste de torta (doce ou salgada). E como a equipe Caldo Bom está comprometida em te ajudar a impressionar muito na cozinha neste fim de ano, aqueça o forno e mãos na massa porque agora apresentaremos 4 estilos de Torta Paulista para você... Mais brasileiras impossível!

Torta Paulista 

Ingredientes: 

  • 500g de amendoim Caldo Bom 
  • 1 litro de leite
  • 1 caixa de leite condensado
  • 1 caixa de creme de leite
  • 2 pacotes de biscoitos de maizena
  • 3 colheres (chá) de açúcar

Modo de preparo: 

  1. Para torrar o amendoim, coloque em uma panela no fogo médio e mexa por 5 min. Quando a casca soltar com facilidade, desligue o fogão. 
  2. Espere esfriar e limpe o amendoim com uma peneira 
  3. No liquidificador, bata bem o amendoim com o leite.
  4. Em uma panela, junte a mistura, o creme de leite, as 3 colheres de açúcar e o leite condensado, deixando a mistura cozinhar até ficar bem encorpada (lembre-se de mexer)
  5. Preencha o fundo do refratário com um pouco da mistura e acrescente as bolachas mergulhadas no leite. Repita as camadas de creme e biscoito até encher o recipiente. 
  6. Por último, espalhe o restante do creme por cima da Torta Paulista e enfeite com amendoim triturado. Está pronta para servir. 

Torta Paulista clássica

Ingredientes: 

  • 1 pacote de Amendoim Descascado Caldo Bom e torrado
  • 1 colher (chá) de achocolatado
  • 1 ½ xícara de açúcar (300g)
  • 2 pacotes de bolacha (de leite ou maizena)
  • 2 latas de creme de leite (há 30 min no congelador)
  • 250g de manteiga sem sal
  • 3 gemas de ovos
  • Leite a gosto (para mergulhar as bolachas)
  • Doce de leite para cobrir

Modo de preparo: 

  1. Bata as 3 gemas com o açúcar até formar um creme e acrescente a manteiga.
  2. Misture a pasta e as duas latas de creme de leite.
  3. Coloque boa parte do amendoim (reserve um pouco para cobrir a torta) no creme e misture.
  4. Mergulhe bem as bolachas no leite em um recipiente e adicione o achocolatado (se quiser uma torta mais firme e seca, apenas molhe as bolachas dos dois lados e retire)
  5. Em um refratário, alterne camadas de bolacha e creme, nesta ordem.
  6. Se colocar doce de leite, a última camada deve ser de bolacha. Se não adicioná-lo, a última camada deve ser de creme.
  7. Para incrementar, bata no liquidificador o amendoim reservado (só para que ele esfarele) e jogue por cima da torta.
  8. Deixe na geladeira por 1 hora e sirva.

Torta Paulista doce

Ingredientes: 

  • 380g de amendoim Caldo Bom torrado e moído
  • 150g de margarina
  • 3 pacotes de bolacha maizena
  • 3 gemas de ovos
  • 1 caixa leite condensado 
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 1 caixa de creme de leite

Modo de preparo: 

  1. Em uma vasilha, leve a margarina, 2 gemas, a essência de baunilha e misture.
  2. Jogue o amendoim torrado e moído, o creme de leite e mexa bem. A mistura está pronta.
  3. Em outro recipiente, coloque mais uma colher de margarina, 1 gema de ovo e o leite condensado. Bata com o fuê até misturar tudo.
  4. No refratário, alterne camadas de bolacha e creme, depois cubra com o leite condensado, seguido pelo amendoim moído.
  5. Deixe na geladeira por 1 hora e está pronto para causar suspiros na mesa.

Torta Paulista super cremosa 

Ingredientes: 

  • ½ xícara (chá) de amendoim Caldo Bom sem pele, torrado e picado
  • ½ xícara (chá) de biscoito maizena triturado 
  • ½ xícara (chá) de leite para regar os biscoitos 
  • ½ xícara (chá) de manteiga
  • ½ xícara (chá) de açúcar refinado
  • ½ colher (chá) de essência de baunilha
  • 2 caixinhas de creme de leite
  • 250g de biscoito maizena (maria ou de leite)
  • 1 caixa de doce de leite

Modo de preparo: 

  1. Leve a manteiga, o açúcar e a essência de baunilha para uma vasilha e bata com o fuê até virar uma pasta clara.
  2. Jogue a mistura dentro do liquidificador junto com as 2 caixas de creme de leite e bata por 1 min. 
  3. Preencha o fundo do refratário com um pouco da mistura e acrescente os biscoitos mergulhados no leite. Repita as camadas de creme e bolacha até encher o recipiente. 
  4. Forre com papel filme e deixe na geladeira por 4 horas.
  5. Passado esse tempo, use uma colher para espalhar o doce de leite sobre a sobremesa.
  6. Finalize jogando o biscoito e amendoim triturados por cima do doce de leite, e se delicie.