Linha completa Caldo Bom | Compre sem sair de casa!
Linha completa Caldo Bom | Compre sem sair de casa!
Bom é comer bem Bom é comer bem

As comemorações da Festa Junina pelo Brasil

Curiosidades

As comemorações da Festa Junina pelo Brasil

As festas juninas chegaram ao Brasil junto com os portugueses no período colonial, mas elas são bem mais antigas do que isso. Assim como muitas outras comemorações, a origem da Festa Junina está em uma celebração pagã que acontecia na Europa ainda na Idade Média e, mais tarde, foi incorporada pela Igreja Católica.

A festividade original acontecia em junho, na ocasião do solstício de verão do Hemisfério Norte, quando as pessoas se juntavam para pedir que os maus espíritos se afastassem e elas pudessem ter uma boa colheita.

Com a expansão do Cristianismo, essa celebração começou a ganhar um viés religioso e foi inserida no calendário católico como uma homenagem ao nascimento de São João, que é comemorado no dia 24 de junho. Por causa disso, em Portugal ela recebeu o nome de “festa joanina”.

Pouco tempo depois, as festividades de junho também passaram a marcar o dia de Santo Antônio (13/6) e São Pedro (29/6), completando a tríade de homenageados do mês.

Como a festa joanina portuguesa se transformou na Festa Junina brasileira

Os portugueses que desembarcaram por aqui no período colonial trouxeram consigo diversas tradições, entre elas a “festa joanina” e vários de seus elementos. Um exemplo disso são os instrumentos musicais que até hoje estão presentes nessa festa: o cavaquinho, a sanfona, o triângulo e o reco-reco já faziam parte da música popular e folclórica de Portugal.

Outro elemento que veio na bagagem dos colonizadores foi a decoração típica: na época, os portugueses estavam encantados com as novidades vindas do Oriente, como enfeites de papel, balões de ar quente e a própria pólvora, e eles vieram parar aqui também.

Em terras brasileiras, a comemoração foi rebatizada como “Festa Junina” em referência ao mês de junho. Além disso, com a influência dos povos indígenas e africanos, ela ganhou novas tradições, especialmente nas comidas típicas. Se na Europa a principal colheita era o trigo, por aqui o cereal mais importante era o milho – e daí o sucesso de pratos como bolo de fubá e canjica.

Os padres jesuítas também tiveram papel essencial na popularização das festas juninas no Brasil, pois foram eles que levaram a tradição portuguesa para a Região Nordeste. Por lá, a população adotou a data como uma oportunidade para agradecer pelas chuvas, e a Festa Junina também passou a ser chamada de “festa de São João”.

Hoje em dia, embora todo o país organize festas juninas, os maiores eventos acontecem na Região Nordeste, onde as comemorações são animadas pelo forró. O maior destaque são as cidades de Caruaru, em Pernambuco, e Campina Grande, na Paraíba, que todo ano disputam o título de “a maior festa de São João do mundo”.

Tradições das festas juninas no Brasil

Assim como a origem da Festa Junina está em uma mistura de costumes pagãos, católicos e portugueses, seus principais elementos também são fruto dessas tradições e das adaptações feitas no Brasil. Veja só:

Roupas típicas

Os trajes típicos de Festa Junina fazem referência ao modo como os camponeses se vestiam em Portugal, mas eles também receberam uma forte influência das roupas utilizadas pelas populações rurais no Brasil, principalmente no Nordeste.

comemorações de festa junina

Para as mulheres, o traje costuma incluir vestido de chita e tranças no cabelo, enquanto o dos homens é composto por camisa xadrez e calça com retalhos coloridos. Para completar o figurino, todo mundo usa botas e chapéu de palha.

Fogueira

Como junho é um mês de temperaturas baixas em boa parte do país, a fogueira passou a servir como um elemento para agregar as pessoas e protegê-las contra o frio.

festa junina no Brasil

Porém, nas festas pagãs que estão na origem da Festa Junina, a fogueira era uma forma de comemorar o solstício de verão e espantar os maus espíritos. Mais tarde, a tradição católica passou a associá-la ao anúncio do nascimento de São João.

Bandeirinhas de Festa Junina

A inspiração para esses enfeites se iniciou com o mastro de São João, mais uma herança da cultura portuguesa. Esse mastro, que é erguido durante a festa, tem três bandeirinhas amarradas em seu topo para simbolizar os santos homenageados no mês de junho – e foi a partir delas que surgiu a decoração mais famosa dessa festividade.

comemoração de festa junina

Porém, o costume de levantar o mastro é ainda mais antigo, pois ele se originou a partir de uma tradição pagã européia na qual os homens levantavam um grande tronco de árvore para representar a força e a fertilidade.

Quadrilha

A quadrilha tem sua origem em uma dança de salão para quatro pares, conhecida como quadrille, que era muito apreciada pela aristocracia francesa no século 19. Apesar disso, seus primórdios pertençam a épocas ainda mais remotas, como uma dança praticada pelos camponeses da Grã-Bretanha no século 13.

festas juninas pelo Brasil

A vinda da quadrille ao Brasil se deve às elites brasileiras e portuguesas, que eram muito influenciadas por tudo o que estivesse em voga em Paris. No início, ela fazia parte da vida cultural urbana, mas a quadrilha se tornou muito mais popular nas festas rurais, quando se encontrou com as roupas típicas dos camponeses e se tornou a dança típica das festas juninas.

Comidas típicas de Festa Junina

No começo das festas juninas no Brasil, os pratos eram feitos à base de milho como forma de agradecer pela colheita e incluíam receitas como canjica, mungunzá, pamonha, pipoca e bolo de milho.

Porém, como o Brasil é um país com dimensões continentais, cada região acrescentou novos ingredientes e sabores às receitas típicas. A lista ficou cada vez mais longa e, hoje em dia, passou a incluir comidas e bebidas como:

  • Amendoim cri-cri;
  • Arroz-doce;
  • Batata-doce;
  • Bolo de aipim;
  • Bolo de amendoim;
  • Bom-bocado;
  • Cachorro-quente;
  • Caldinho de feijão;
  • Cocada;
  • Cuscuz;
  • Maçã do amor;
  • Pastel;
  • Pé de moleque;
  • Pinhão;
  • Quentão de cachaça;
  • Quentão de vinho ou vinho quente;
  • Sopa paraguaia;
  • Vatapá.

A grande variedade de comidas típicas, brincadeiras, ritmos musicais e costumes das festas juninas são um reflexo das próprias origens brasileiras e sua ampla miscigenação étnica e cultural – e é justamente isso que faz essa comemoração ser tão querida. Viva São João!

Fonte(s): Terra, Brasil Escola e Toda Matéria